O que fazer e onde ficar em Vila Bela da Santíssima Trindade – MT?

E aí Pessoal!

Aqui a resolução não é de ano novo, a resolução é pra já!!! 😀 Nada de esperar o ano virar para retomar a nossa coluna, a hora de retomar é agooora!

E nada melhor do que um destino mega brazuca e a participação de uma grande amiga para este momento!!! Vamos falar da Vila Bela de Santíssima Trindade no interior do Mato Grosso e quem contará tudo é a minha querida amiga Luciana Mascaro, que esteve lá com seu maridão belga.

 

1. Por que Vila Bela da Santíssima Trindade?

 

Vila Bela de Santíssima Trindade

Por vários motivos: foi a primeira capital de Mato Grosso, estabelecida por questões políticas e para afirmar a ocupação portuguesa na metade do século XVIII nessa região de fronteira; porque seu traçado regular ainda permanece preservado e porque ainda existem edifícios da época de fundação da cidade; além disso está às margens do rio Guaporé e ao pé do Parque Estadual Serra de Ricardo Franco.

 

2. Em que bairro você se hospedou? Valeu a pena?

A cidade é muito pequena…chegamos lá a tardinha sem nada planejado nem reserva de hospedagem. Demos umas voltas pela cidade e encontramos um pequeno hotel, o hotel Cascata, na região central, próximo às ruínas da Matriz. Fomos muito bem recebidos. Ali mesmo nos informaram que haviam poucas opções para sair e comer a noite e que, para fazer visitas fora da cidade, pelo parque e pelo rio, seria necessário contratar um guia. O próprio hotel fez o papel de “informações turísticas”.

 

Escolha aqui o seu hotel em Vila Bela da Santíssima Trindade

 

3. Suas três atrações preferidas?

1. A constituição da cidade, com as ruínas da Igreja Matriz e o Palácio dos Capitães Generaes. As ruas ainda são retilíneas e formam uma quadrícula, como na época de fundação da cidade, 1752. No quadra central foi implantada a Matriz e logo na quadra adjacente o Palácio dos Capitães Generaes. Essas edificações foram construídas com pedras, madeira e terra (adobe e taipa) e trazem o saber-fazer miscigenado das técnicas portuguesa, negra (a cidade foi povoada também pelos escravos trazidos pelos seus senhores) e, talvez, até indígena. São edificações registradas como patrimônio nacional e necessitam de cuidados. A cobertura construída para proteger as ruínas da Matriz, infelizmente, não cumpre seu papel: ela própria está em estado de degradação. Outra atração é o Museu Histórico e Arqueológico Joaquim Marcelo Profeta da Cruz, onde muitas informações interessantes sobre a cidade e a região podem ser encontradas.

Vila Bela de Santíssima Trindade

2. O Parque Estadual Serra de Ricardo Franco. As trilhas que se pode fazer pelo Parque dão acesso a cachoeiras lindíssimas como a chamada Cachoeira dos Namorados e outras. A vegetação é abundante e as águas dos riachos são muito limpas. Se não fosse pelo frio – sim! por incrível que pareça, estivemos lá no momento da chegada de uma frente fria, que deve ter sido uma das únicas do ano! – teríamos tomado um banho… Portanto, aí vai uma dica: se forem a Vila Bela em junho ou julho, levem roupa de frio. As que tivemos que comprar lá foram bem caras!

Vila Bela de Santíssima Trindade

Vila Bela de Santíssima Trindade

3. O rio Guaporé com sua água transparente, fauna e flora. Surpresa com as vitórias-régias e o buritizal que mais parece um jardim. Era a época de nidificação das aves e os buritis estavam enfeitados de ninhos e aves coloridas. Um verdadeiro espetáculo! Ariranhas, macacos, capivaras e outros bichos podem ser vistos durante o passeio de barco. Destaque para os botos cor-de-rosa e cinza e para a paisagem, na qual a Serra de Ricardo Franco impera.

Vila Bela de Santíssima Trindade

 

4. O que te surpreendeu?

Vila Bela de Santíssima Trindade

A maior surpresa dessa viagem foi o passeio de barco pelo rio Guaporé. A região é de transição entre os ecossistemas amazônico e do cerrado, mas eu nunca imaginei que iríamos ver botos no rio! São lindos e é muito difícil fotografá-los. Eles já conhecem os barcos e ficam brincando de aparecer onde menos esperamos!

 

5. Aquela dica que você daria a um amigo!

Vila Bela de Santíssima Trindade

Vila Bela de Santíssima Trindade não tem ainda estrutura turística, mas tem um potencial imenso para o turismo. Quem nos acompanhou pela serra e pelo rio foi o Divino, guia conhecido na cidade que recomendamos pelo conhecimento e simpatia! Vale a pena enfrentar a distância de 522km que separam a cidade da atual capital do Estado, Cuiabá. Enfim, para quem não conhece, vale também uma parada em Cáceres, que está praticamente a meio a caminho entre Cuiabá e Vila Bela.

 

E aí, curtiram? Achei uma ótima opção para quem foge do turismo de massa e não está podendo com esse dólar alto. Aproveito aqui para deixar um suuuuper obrigada à Lu por participar da nossa coluna e enriquecê-la com um destino tão ímpar!

 

Veja aqui todos os Posts e Destinos do “A Sua Viagem”

 

E se você, tiver AQUELA cidade ou viagem que te encantou? Divida com a gente a sua experiência, não precisa ser blogueiro, é só responder essas cinco perguntinhas do texto, juntar algumas fotos e enviar para o e-mail zuca@zigadazuca.com.br. Será muito bacana tê-los fazendo parte do Ziga da Zuca. 😉

Semana que vem tem mais post do A Sua Viagem pra vocês, Pessoal!

Beijooo!

 

Fotos: Luciana Mascaro

Author: Natália Gastão

Fluminhoca (fluminense + carioca) experimentando a vida mineira em Belo Horizonte, fisioterapeuta, acupunturista e viajante. Apaixonada pelo Rio e por viajar, sofre de tensão pré e depressão pós viagem, não pode ver uma promoção de passagem aérea e quer ir para tudo quanto é canto.

Share This Post On

3 Comments

  1. Oi Natália!

    Mandei um e-mail pra vocês com algumas dúvidas sobre esse passeio! Podem me ajudar?? Vi a página aqui e fiquei muito ansioso pra ir! kkkk Para ser mais exato, vou no dia 26/03! Um abraço

    Post a Reply

Mantenha este blog vivo, comente!