O que fazer no Rio de Janeiro: 16 programas culturais

O ZigadaZuca está iniciando uma série de posts sobre o que fazer no Rio de Janeiro, nós sabemos que o Corcovado, o Pão de Açúcar são imbatíveis, e nós até já explicamos aqui como visitar estes locais sem gastar muito. Também sabemos que a praia é imperdível e inclusive já falamos dela neste link. Mas queremos mostrar que o Rio é muito mais do que isso e pode ser muito interessante até mesmo para quem não curte praia ou para quem já visitou os cartões postais mais conhecidos da cidade.

Na Região da Candelária

A Região da Candelária no Centro do Rio concentra diversas atrações culturais e históricas que são facilmente visitadas em conjunto, pois se pode fazer tranquilamente todo o circuito à pé. Ali vocês poderão encontrar centro culturais igrejas e palácios históricos e quadras inteiras muito preservadas do rio antigo, completando um percurso muito interessante que liga a Igreja da Candelária ao Paço Imperial na Praça XV, falaremos um pouco mais sobre eles nos próximos posts, por agora ficamos com as atrações culturais.

1 – Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB

Bem no centro do Rio de Janeiro, ao lado da Igreja da Candelária estão três dos mais importantes centros culturais da cidade, entre eles o CCBB, inaugurado em 1989 no prédio neoclássico que já foi sede da Associação Comercial do Rio de Janeiro, pregão da Bolsa de Fundos Públicos e desde a década de 1920 pertence ao Banco do Brasil.

Centro Cultural Banco do Brasil - Rio de Janeiro

Centro Cultural Banco do Brasil – Rio de Janeiro

O CCBB é um daqueles lugares que a gente vai sempre que tem uma brecha, pois tem certeza que vai encontrar alguma coisa interessante lá, as exposições são sempre muito bacanas, a livraria é excelente e sempre tem boas peças em cartaz.

O café na rotunda é um pouco espremido, mas o lugar é tão impressionante que a gente nem se importa tanto. Vale pela arquitetura, pela luz que entra da claraboia e ainda é tão próximo de outros centros bacanas que você vai se divertir com certeza.

Centro Cultural Banco do Brasil  - Rio de Janeiro

Centro Cultural Banco do Brasil – Rio de Janeiro

Centro Cultural Banco do Brasil  - Rio de Janeiro

Centro Cultural Banco do Brasil – Rio de Janeiro

O CCBB do Rio de Janeiro apresenta diversas exposições temporárias de artes plásticas, sempre com entrada franca, um acervo histórico com a história do banco, cinema, apresentações musicais, café e livraria. Já, de quarta a domingo, os centros apresentam excelentes peças de teatro com ingressos a valores bastante acessíveis, entretanto é recomendável comprar seu ingresso com antecedência, principalmente nos finais de semana.

Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
Metrô: Uruguaiana ou Carioca
Tel: (21) 3808-2020
http://culturabancodobrasil.com.br/portal/rio-de-janeiro/
De quarta a segunda, das 9h às 21h.
Cinema: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia-entrada).
Teatro: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia-entrada).

2 – Casa França Brasil

Bem ao lado, a casa França-Brasil é quase um anexo do CCBB, sem querer desmerecer o excelente espaço, mas ficam literalmente ao lado um do outro. O edifício histórico é muito interessante, um solar neoclássico encomendado por João VI de Portugal em 1819 para ser a primeira Praça do Comércio da cidade, com projeto de Grandjean de Montigny, integrante da Missão Artística Francesa de 1816.

O edifício, concluído em 1820, já abrigou também a Alfândega, teve um período de quase abandono após 1944 e, em 1951, foi transformado no 2º Tribunal do Júri. Apenas em 2008, o edifício reabriu como centro cultural, no contexto das comemorações do Ano da França no Brasil.

Casa Franca-Brasil

Casa Franca-Brasil

Como é um espaço um pouco menor, sem um grande acervo próprio, a visita depende muito da exposição em cartaz, mas ao mesmo tempo, como ele possui um grande Salão Central, que permite a instalação de exposições temporárias de grandes formatos, elas são normalmente excelentes. Por ali já passaram Hélio Oiticica, Waltércio Caldas e Daniel Senise.

O centro possui também uma Sala de Leitura com um rico acervo de catálogos de arte contemporânea e um bistrô muito interessante.

Rua Visconde de Itaboraí, 78 – Centro.
Tel: (21) 23325120
http://www.casafrancabrasil.rj.gov.br/
De terça a domingo, de 10h às 20h.
Entrada Franca.

3 – Centro Cultural dos Correios

Completando o corredor cultural da Primeiro de Março temos o Centro Cultural dos Correios, que foi inaugurado em 1922 para sediar uma escola do Lloyd Brasileiro (o que acabou não ocorrendo). O edifício eclético, foi, por mais de 50 anos, utilizado para funções administrativas dos Correios e apenas em 1993, logo após participar dos eventos da conferência ECO-92, foi transformado em centro cultural.

Centro Cultural dos Correios

Centro Cultural dos Correios

O Centro Cultural Correios completa o trio cultural, pois fica também a alguns passos do CCBB e da Casa França-Brasil. Um pouco menos conhecido, pois fica na rua de trás, ele apresenta excelentes exposições temporárias em grandes salas que se distribuem pelos três pavimentos do edifício, o que se faz por um antigo elevador panorâmico ou pelas escadarias, muito bonitas, de madeira que contornam o hall.

O centro também possui um Teatro no térreo.

A área ao redor do centro é um belo exemplo da arquitetura do Rio antigo, com vários quarteirões muito bem preservados, com o casario e igrejas da época do império, que nos faz viajar no tempo.

Centro Cultural dos Correios

Centro Cultural dos Correios

Centro Cultural dos Correios

Centro Cultural dos Correios

R. Visc. de Itaboraí, 20 – Centro
Tel: (21) 2253-1580
http://www.correios.com.br/sobre-correios/educacao-e-cultura/centros-e-espacos-culturais-dos-correios/centro-cultural-rio-de-janeiro
De terça à domingo, das 12:00h às 19:00h.
Entrada Franca (Exceto Teatro)

 

Veja aqui 11 Coisas Baratas e 100% Cariocas para se Fazer no Rio

 

Na Região da Cinelândia

O entorno da Praça Marechal Floriano, no centro do Rio de Janeiro, ganhou o nome de Cinelândia devido aos diversos cinemas que já abrigou, dos quais hoje sobrevive apenas o Petrobras Odeon, construído na década de 1930. A praça abriga diversas instituições públicas em imponentes edifícios ecléticos.

Cinelândia

Cinelândia

4 – Centro Cultural da Justiça Federal – CCJF

O prédio de 1905, um importante exemplo da arquitetura eclética do Rio de Janeiro, foi construído para ser a Mitra Arquiepiscopal, mas, já em 1909, passou a abrigar o Supremo Tribunal Federal, que ali ficou até a capital ser transferida para Brasília, em 1960. Em 2001 foi reaberto como Centro Cultural.

Centro Cultural Justiça Federal

Centro Cultural Justiça Federal

Centro Cultural Justiça Federal

Centro Cultural Justiça Federal

O Centro é uma improvável surpresa, pois é pouco conhecido mas apresenta exposições artísticas de qualidade em um espaço muito interessante. Logo no hall de entrada uma belíssima escada em ferro fundido e mármore de carrara nos mostram como o centro parece estar sendo injustamente esquecido! Ali um grande vitral, da Casa Conrado Sogenith, completa o conjunto que por si só já valeria a visita.

O CCJF possui além das diversas galerias de exposição, um teatro, cinema, biblioteca, a Sala de Sessões, que mantém o assoalho original de peroba e pau-roxo, e uma cafeteria muito bacana, no hall de entrada.

Centro Cultural Justiça Federal

Centro Cultural Justiça Federal

Centro Cultural Justiça Federal

Centro Cultural Justiça Federal

Av. Rio Branco, 241 – Centro.
Metrô Cinelândia
Tel: (21) 3261-2565
http://www10.trf2.jus.br/ccjf/
De terça a domingo, das 12:00h às 19:00h.
Entrada Franca

5 – Museu Nacional de Belas Artes – MNBA

O Museu Nacional de Belas Artes se origina a partir da construção da nova sede da Escola Nacional de Belas Artes, em 1908, que se torna oficialmente Museu, a partir de 1937.

O importante acervo do Museu Nacional de Belas Artes se origina a partir do conjunto de obras de arte deixado por D. João VI quando retornou a Portugal, em 1821, ampliado mais tarde com a Missão Artística Francesa e incorporações mais recentes, ao longo do século XIX e XX.

Museu Nacional de Belas Artes

Museu Nacional de Belas Artes

Mas apesar do aspecto imponente e sisudo do edifício, suas galerias não trazem apenas obras clássicas e históricas. Podemos também encontrar muitas pinturas modernas brasileiras como Portinari, Djanira, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Antônio Bandeira, Guignard, Cícero Dias, Lasar Segall e José Pancetti.

Museu Nacional de Belas Artes

Museu Nacional de Belas Artes – Foto: Halley Pacheco de Oliveira

Seu acervo de Arte sobre papel traz obras dos gravuristas Oswaldo Goeldi, Carlos Scliar e Fayga Ostrower e de importantes artistas contemporâneos brasileiros como Beatriz Milhazes, Daniel Senise e Cildo Meirelles. Mas não é limitado à arte brasileiras, em suas galerias você também poderá encontrar obras de Turner, Picasso, Kandinsky, Anish Kapoor e Miró, além de exposições temporárias bastante diversas.

O Museu também possui uma biblioteca especializada em Artes Plásticas dos séculos XIX e XX, além de acçoes educativas, vivências e visitas guiadas.

Avenida Rio Branco, 199 – Centro.
Metrô Cinelândia
Tel: (21) 2219-8474
http://mnba.gov.br/portal/
De terça a sexta das 10:00h às 18:00h.
Sábados, domingos e feriados das 12:00h às 17:00h.
Ingressos: R$ 8,00 e meia: R$ 4,00 (gratuito aos domingos).
Gratuidades para estudantes da rede pública, acima de 65 anos e professores.
A bilheteria fecha 30 min antes do Museu.

6 – Teatro Municipal do Rio de Janeiro

Não apenas como palco das atrações musicais e artísticas que acontecem ali, o Teatro pode ser uma excelente proposta. As visitas guiadas às suas instalações nos permitem conhecer um pouco sobre o prédio, sobre como funciona toda a estrutura do teatro, além de visitar espaços que não são acessíveis durante as apresentações e que a gente nem imagina que existem.

Teatro Municipal do Rio de Janeiro

Teatro Municipal do Rio de Janeiro

Teatro Municipal do Rio de Janeiro

Teatro Municipal do Rio de Janeiro

O Teatro foi construído entre 1905 e 1909, no final da Reforma Passos, um conjunto de obras urbanísticas de grande envergadura que foram realizadas pelo prefeito Pereira Passos no Rio de Janeiro, retomando a proposta do dramaturgo Arthur Azevedo que a muito se empenhava numa campanha pela construção do Teatro – A arquitetura é um misto dos projetos de Oliveira Passos e de Albert Guilbert (solução adotada depois de um longo imbróglio surgido no concurso realizado), inspirados na Ópera de Paris, construída por Charles Garnier.

O prédio que já passou por 4 reformas, a última se iniciou em 2008 e foi concluída em maio de 2010, após um extenso trabalho de restauro, que incluiu o douramento de suas cúpulas e da enorme águia em seu topo (6m de envergadura), além da modernização de seus equipamentos.

O edifício é marcado por suas colunas coríntias, pelas cúpulas em cobre e dourado, pela grande escadaria e por muitos adornos como os enormes vitrais, bustos e esculturas engastados nas fachadas que dão uma profusão barroca às linhas clássicas do edifício.

Teatro Municipal - Escadaria

Teatro Municipal – Escadaria

Mosaicos do Teatro Municipal

Mosaicos do Teatro Municipal

Internamente, o espaço acessível ao público é dividido entre vestíbulo de entrada, foyer, escadas e sala de espetáculos. Como a sala de espetáculos se divide em diversos níveis, nem o acesso se faz a partir das escadas principais. Para a plateia e frisas se passa ao lado dela, onde encontramos duas escadas menores, que acessam os andares mais altos onde estão as galerias.

Marca da estrutura social da época, onde para os mais abastados, parte importante do evento era se mostrar e ver quem estava no ambiente.

A imponente escada dá acesso para o pavimento nobre onde estão os camarotes, as poltronas do balcão nobre e o foyer, de onde podemos visitar as duas logias laterais do teatro e apreciar, em detalhes, os mosaicos e os enormes vitrais.

Das escadas laterais também acessamos o restaurante Assyrio, no andar inferior. O restaurante é um espaço interessante, mas no mínimo estranho, com um teto baixo sustentado por colunas com um touro persa por capitel, um belo piso em mosaico e as paredes revestidas por cerâmicas esmaltadas com motivos babilônicos, além de fontes, lustres e até mesmo o banheiro que completam o inusitado ambiente.

Assyrio  - Teatro Municipal do Rio de Janeiro

Assyrio – Teatro Municipal do Rio de Janeiro

Detalhes do Assyrio

Detalhes do Assyrio

Praça Marechal Floriano, S/N – Centro.
Metrô Cinelândia
Tel: (21) 2332-9220 e 2332-9005
http://www.theatromunicipal.rj.gov.br/

Visitas Guiadas:
De terça a sexta: 12h, 14h, 15h e 16h.
Sábados e Feriados: 11h, 12h e 13h.
Por ordem de chegada, com distribuição de senha (Para instituições, recomenda-se agendar)
Senhas distribuídas a partir de 10:30h na entrada da Rua Evaristo da Veiga.
Ingressos para a visita (adquiridos na bilheteria): Inteira R$ 10,00/Meia R$ 5,00.

7 – Biblioteca Nacional

Assim como o Teatro Municipal, a Biblioteca é outro espaço que permite, além de seu uso tradicional, visitas guiadas. As visitas são gratuitas, mas é necessário levar um documento com foto e guardar seus pertences em um grada-volumes.

Biblioteca Nacional

Biblioteca Nacional

A história da biblioteca nacional se inicia com o acervo trazido com a mudança da corte portuguesa para o Brasil. Em 1821, com o retorno a Portugal, a família levou grande parte dos manuscritos de volta, mas eles retornaram com os acordos da proclamação da independência, quando o Brasil adquiriu a Biblioteca Real em 1825. Como o acervo estava acomodado provisoriamente no Hospital da Ordem Terceira do Carmo, na Rua Direita, em 1810, um decreto do Príncipe Regente determinou a construção do prédio atual, inaugurado em 1814.

Pela lei do depósito legal a biblioteca recebe ao menos um exemplar de cada livro editado no Brasil, isso faz com que lá se encontre praticamente tudo o que já foi oficialmente editado no país, inclusive dos principais periódicos. E o mais bacana, qualquer cidadão tem acesso a toda a informação, basta solicitar, mesmo exemplares históricos, se não tiverem sido microfilmados ou escaneados você terá acesso à obra original, além de instruções de como manuseá-la para não danificar.

Só é possível a visitação guiada, a primeira vista pode parecer que não há muito a se falar sobre uma biblioteca, mas aos poucos vamos conhecendo os diversos setores, vendo como tudo é enorme e que ela agrega diferentes tipos de acervo e de áreas de leitura. Aos poucos vamos conhecendo os detalhes de funcionamento e até podemos ver algumas das obras raras guardadas ali, que por sinal parece que Portugal está sempre tentando pegar o nosso exemplar dos Lusíadas.

Biblioteca Nacional

Biblioteca Nacional – Foto Marcos D´Paula – Agencia Estado

Biblioteca Nacional

Biblioteca Nacional

A biblioteca abriga não apenas livros, mas documentos de cartografia, iconografia, manuscritos, documentos históricos, periódicos e arquivos sonoros, e, para os pesquisadores que não se encontram no Rio de Janeiro a biblioteca oferece inclusive um serviço de consulta à distância (com a digitalização do material).

Entre as obras históricas abrigadas na biblioteca temos (algumas expostas na visita guiada):
– Divina Proportione, escrito em 1509 por Luca Paciol e ilustrado por Leonardo Da Vinci
– A primeira edição da “Arte da gramática da língua portuguesa”, escrita pelo Padre Anchieta;
– Uma edição da Bíblia impressa por Gutemberg em 1462
– A primeira edição de “Os Lusíadas”, de 1572;

Av. Rio Branco, 219 – Centro.
Metrô Cinelândia
Tel: (21) 2220-9484
http://www.bn.br/
De segunda a sexta-feira, das 9:00h às 17:00h
Sábados das 10:30 às 14:00h
Entrada Franca

Clique aqui e encontre Hotéis no Rio

Na área de Flamengo-Botafogo

Na região de Botafogo, além da grande quantidade de cinemas, como os Estação Botafogo, Estação Rio, Espaço de Cinema e Espaço Itaú de Cinema, e de teatros, como o Espaço Cultural Sergio Porto, Solar de Botafogo e Teatro Poeira, também temos alguns espaços muito interessantes, dois deles apresentamos aqui abaixo e outros, em breve nos próximos posts sobre o Rio de Janeiro.

8 – Casa Daros

Inaugurada há dois anos em um imponente casarão histórico, rojetado pelo arquiteto Francisco Joaquim Bethencourt da Silva (1831-1912), a Casa Daros Rio é uma empreitada da Daros Latinamerica, para ter um espaço cultural físico. A instituição, com sede Zurique, possui uma das mais abrangentes coleções de arte contemporânea latino-americana, com mais de 1.200 obras de 117 artistas, trabalha com a organização de exposições e empréstimos de obras para museus e instituições ao redor do mundo.

Casa Daros

Casa Daros – Foto: André Nazareth – Botofogoonline

A casa realiza exposições de arte temporárias de excelente qualidade, baseadas no acervo da instituição, além de promover performances, oficinas e encontros.
O espaço é muito interessante e agradável, e também possui um café e um restaurante muito agradáveis, voltados para o pátio interno.

Infelizmente a Daros está sob forte ameaça de fechamento (apesar de ofertas de suporte governamentais), devido aos custos e à burocracia que enfrentam no país, portanto mais do que nunca vale a pena correr para fazer uma visita.

Casa Daros

Casa Daros

Casa Daros

Casa Daros

Rua General Severiano, 159 – Botafogo.
Metrô Botafogo
Tel: (21) 2138-0850
http://www.casadaros.net/
De quarta a sábado das 11:00h às 19:00h
Domingos e feriados 11:00h às 18:00h
Entrada R$ 14 – Gratuita às quartas-feiras
Meia-entrada: estudantes e idosos
Gratuito: Crianças até 12 anos, professores da rede pública e escolas com visita agendada.

9 – Museu de Arte Moderna – MAM

O Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, ou MAM, fica no Aterro do Flamengo, próximo ao Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial (Monumento aos Pracinhas) e à Marina da Glória, o que faz da vista e do entorno, um passeio à parte.

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – Foto: Rudolf Noronha

O prédio, projetado em 1953 por Affonso Reidy, com paisagismo de Burle Marx foi inaugurado em 1967 e se tornou um marco da Arquitetura Moderna Brasileira, com suas ousadas colunas inclinadas que deixam o edifício apoiando delicadamente no terreno, apesar da imponente dureza do concreto.

O espaço do museu, fiel à linha modernista, com interior amplo e limpo, e grandes fachadas envidraçadas são uma atração por si só, mas o grande acervo de obras modernas, associado a outras coleções associadas, como a coleção Gilberto Chateaubriand, uma das mais completas coleções de arte brasileira moderna e contemporânea, garante também a excelente qualidade das exposições.

Em 2006 o projeto original foi finalmente concluído com a construção do Teatro Vivo Rio.

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro

Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – Fonte: rioguiaoficial.com.br

Av. Infante Dom Henrique, 85.
Metro Cinelândia
Tel: (21) 3883 5600
http://www.mamrio.com.br/
De terça a sexta, das 12:00h às 18:00h
Sábados, domingos e feriados, das 12:00h às 19:00h.
A bilheteria fecha meia hora antes.

 

Veja aqui como fazer um Bate e Volta de Bike para Niterói

 

Em Santa Teresa

Santa Teresa possui um clima descontraído e boêmio, suas ruas de paralelepípedos são marcadas pelos trilhos do bondinho (que há tempos não circula e não se sabe quando volta) abrigam diversas galerias, restaurantes e botecos genuinamente cariocas.

10 e 11 – Parque das Ruínas e Museu Chácara do Céu

O final da Rua Murtinho Nobre guarda duas atrações muito interessantes, o Parque das Ruínas e o Museu Chácara do Céu que merecem uma visita conjunta, tanto pela proximidade, quanto pelo tema em comum de um centro cultural abrigado na casa da personalidade que originou a proposta.

Parque das Ruínas

Parque das Ruínas – Foto: riodejaneiroaqui.com.br

O casarão de Laurinda Santos Lobo (1878-1946), onde a mecenas carioca morava e costumava reunir artistas e intelectuais, entre eles: Villa-Lobos, Tarsila do Amaral e Isadora Duncan estava completamente abandonado até 1996, quando foi reformado e transformado no Centro Cultural Parque das Ruínas.

O espaço abriga atividades culturais como exposições, oficinas e peças de teatro, mas a casa por si só já merece uma visita pela abordagem da restauração dos arquitetos Ernani Freire e Sônia Lopes que preservou as ruínas do casarão muito próximo do estado em que se encontravam, adicionando elementos metálicos e de vidro, que configuram passarelas, diferentes níveis e mirantes. Uma composição que se integra tanto às ruínas que lhe dão o nome quanto aos espaços externos e aos ambientes tradicionalmente reformados.

Parque das Ruínas

Parque das Ruínas – Foto: riodejaneiroaqui.com.br

Os espaços e entorno da casa formam um conjunto bastante confortável e agradável com terraços e espaços de contemplação que além das atividades culturais, possuem uma bela vista da cidade

Em Santa Teresa existe também o Centro Cultural Laurinda Santos Lobo, em um casarão rosado (que apesar do nome nunca foi moradia da Laurinda), que fica na Rua Monte Alegre, 306, que realiza exposições, oficinas e apresentações teatrais.

O Museu Chácara do Céu ocupa a residência modernista de Raymundo Castro Maya (1894-1968), que se situava na chácara que dá origem ao nome do museu, e abriga a coleção particular do empresário inicialmente através da Fundação Castro Maya, mas desde 1983 incorporadas ao Ministério da Cultura.

A residência de 1954, é projeto do arquiteto Wladimir Alves de Souza, e possui um jardim que abriga esculturas e se parece bastante denso quando chegamos à casa, revela um belo gramado ao fundo e também permite uma bela vista da baía da Guanabara.

Museu Chácara do Céu

Museu Chácara do Céu – Foto: pnem.museus.gov.br/

Além das exposições, permanentes e temporárias, do acervo de arte brasileira, brasiliana, europeia e oriental, o museu abriga diversos ambientes mantidos mobiliados e ambientados, lembrando o aspecto original de moradia do espaço. Entre eles temos a Biblioteca Castro Maya, com diversos exemplares raros e um grande conjunto de mobiliário luso-brasileiro dos séculos XVIII e XIX.

As “Brasilianas” são gravuras, aquarelas ou pinturas feitas por artistas estrangeiros que visitavam o Brasil no século 19, após a vinda de D. João VI, como Rugendas, Chamberlain, Taunay e Debret, todos presentes no acervo do museu, este último com quase 500 originais.

A Rua Murtinho Nobre está a uma caminhada rápida do Largo do Curvelo se inicia em uma rampa que parte da Hermenegildo de Barros, perto do número 30 (a entrada é sinalizada mas requer uma pequena caminhada).

Parque das Ruínas
Rua Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa.
Tel: (21) 2215-0621 e 2224-3922.
De terça a domingo, das 8:00h às 18:00h.

Chácara do Céu
Rua Murtinho Nobre, 93 – Santa Teresa.
http://museuscastromaya.com.br/museu-da-chacara-do-ceu/sobre-o-museu-da-chacara-do-ceu/
De quarta a segunda, das 12:00h às 17:00h
Ingresso – R$ 2,00 (Gratuito às Quartas-Feiras)

 

Veja aqui como usar a Bike Rio

Região Portuária

As obras de revitalização da antiga zona portuária da cidade do Rio de Janeiro, com diversas intervenções de grande porte, como a derrubada do Elevado da Perimetral, a construção do Museu do Amanhã e a implantação do sistema de VLT, estão transformando e criando diversas atrações culturais e de lazer na região.

12 – Museu de Arte do Rio de Janeiro – MAR

O projeto arquitetônico do MAR, desenhado pela Jacobsen Arquitetura, integra dois edifícios bastante heterogêneo: o eclético Palacete Dom João VI e o antigo terminal rodoviário modernista situado ao lado.

Museu de Arte do Rio de Janeiro - MAR

Museu de Arte do Rio de Janeiro – MAR – Foto: Bernardes Arquitetura

O MAR possui exposições permanentes e temporárias de arte, fotografia, documentos e artefatos que estão normalmente relacionados com a história da cidade. Mas também abriga a Escola do Olhar, um ambiente que desenvolve experiências coletivas, cursos, workshops e palestras, com foco principal na formação de educadores da rede pública de ensino.

O Museu possui uma proposta mais integradora, com um enfoque mais descontraído, com muitas exposições multimídia e eventos artísticos. E por isso mesmo recebe muitas visitas de grupos e escolas.

Museu de Arte do Rio de Janeiro - MAR

Museu de Arte do Rio de Janeiro – MAR

Museu de Arte do Rio de Janeiro - MAR

Museu de Arte do Rio de Janeiro – MAR

A localização privilegiada também permite uma bela vista para a Baía de Guanabara, Praça Mauá, o Cais de Passageiros do Porto e. principalmente. para o Píer Mauá, onde está sendo construído o Museu do Amanhã, projeto de Santiago Calatrava.

Praça Mauá, 5, Centro
Tel: (21) 3031-2741
http://www.museudeartedorio.org.br/
Terça a domingo, das 10:00h às 17:00h.
Ingresso: R$ 8,00 (gratuito às terças-feiras).
Meia entrada: menores de 21 anos, estudantes, pessoas com deficiência e Servidores públicos da cidade do Rio de Janeiro.
Gratuito: Estudantes da rede pública (fundamental e médio), menores de 5 e maiores de 60 anos, professores da rede pública.

 

Veja aqui como Chegar ao Corcovado e ao Pão de Açúcar de Transporte Público

Outras Áreas

13 – Museu Nacional

Localizado no Parque da Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, o Museu Nacional é uma excelente atração para famílias e crianças, por conciliar o museu com um grande parque com atrações diversas.

Museu Nacional

Museu Nacional

O museu é focado em História Natural, Paleontologia e Antropologia, incluindo arte e utensílios indígenas e até o esqueleto de um tiranossauro. O espaço abriga também algumas exposições temporárias e Sala do Trono, fazendo jus à sua vertente histórica, pois o edifício foi residência da Família Imperial brasileira até 1889.

Museu Nacional

Museu Nacional

Museu Nacional

Museu Nacional

Quinta da Boa Vista, São Cristóvão
Metro São Cristóvão (Linha 2)
Tel: (21) 3938-6900
http://www.museunacional.ufrj.br/
Ingresso: R$6,00
Meia entrada: Estudantes, menores de 21 anos, maiores de 60 anos e professores da rede pública
Ingresso Família (2 inteiras + 2 meias): R$15,00
De terça a domingo (e feriados), das 10:00h às 17:00h
Segundas-feiras, das 12:00h às 17:00h
A Bilheteria fecha sempre uma hora antes.
No horário de verão (de 01/10 à 30/04) o Museu fecha uma hora mais tarde.

14 – Instituto Moreira Salles

A casa, com projeto do arquiteto Olavo Redig de Campos e paisagismo de Burle Marx, foi residência do Banqueiro e Embaixador Walther Moreira Salles até 1990 quando o Instituto Moreira Salles, foi fundado.

Instituto Moreira Salles

Instituto Moreira Salles – Foto: Christiano Mascaro – Arquivo IMS

Só a visita à casa já daria um excelente passeio. Um autêntico palacete de arquitetura modernista, com belos jardins em um terreno de 10 mil metros quadrados em meio à Floresta da Tijuca. Mas ali você pode desfrutar também de excelentes exposições fotográficas e de artes plásticas, além de atividades culturais promovidas pelo instituto além de um cinema com ótima programação, um café e uma livraria.

Aos sábados eles promovem uma programação especial infantil gratuita (necessário retirar senha 30 minutos antes)

Instituto Moreira Salles

Instituto Moreira Salles – Foto: Christiano Mascaro – Arquivo IMS

Instituto Moreira Salles

Instituto Moreira Salles – Foto: acaradorio.com

Rua Marquês de Sao Vicente, 476 – Gávea.
Tel: (21) 3284-7400 e 3206-2500
Metrô Botafogo (Na estação há um ônibus de integração para a Gávea, com ponto final na rua Padre Leonel Franca, a 15 minutos a pé do IMS).
http://www.ims.com.br/ims/
De terça a domingo, das 11:00h às 20:00h.
Entrada Franca (exceto cinema e atividades especiais)
Audioguia gratuito disponível na recepção.
Estacionamento e wifi gratúitos

Em Niterói

Ok, Niterói não é tecnicamente Rio de Janeiro, mas está ali do lado e nós até já mostramos aqui como ir facinho de bike ou de barca.

15 – Caminho Niemeyer – Niterói

Na esteira do sucesso apresentado pelo MAC, inaugurado em 1996, Niterói planejou construir diversas novas obras de Oscar Niemeyer para a cidade, a ideia seria ligar pela orla, desde a estação de barcas até o MAC. Seriam construídos uma estação de barcas, Um Teatro, Museu de Cinema, a sede da Fundação Oscar Niemeyer, um centro de convenções e duas igrejas, além de cogitados um aquário, uma arena e uma torre panorâmica com 80m.

Caminho Niemeyer

Caminho Niemeyer

Atualmente vários projetos foram abandonados e, além do MAC, foram efetivamente construídos na Praça das Águas: o Teatro Popular, o Memorial Roberto Silveira e a Fundação Oscar Niemeyer, e fora dali: o Museu Petrobrás de Cinema.

O palco do Teatro é reversível e possui uma grande abertura para a praça, podendo realizar espetáculos para o público externo.

O Espaço é um pouco desolador, um misto de incompletude com um acabamento típico de nossas obras públicas, mas vale a visita para conhecer as obras, e pela vista da baía.

Caminho Niemeyer

Caminho Niemeyer

Caminho Niemeyer

Caminho Niemeyer

Av. Jornalista Rogério Coelho Neto, S/N
Tel: (21) 2621-5104 e 2613-2734
http://www.teatropopularoscarniemeyer.art.br/
Bilheteria: De quinta a domingo, das 15:00h às 21:00h.
Em dias de espetáculo até o início da apresentação.

16 – Museu de Arte Contemporânea – Niterói

Situado perto da Ilha de Boa Viagem, quase chegando à Icaraí pela orla, o Museu conclui o Caminho Niemeyer, e é um dos símbolos da cidade de Niterói e uma das obras de arquitetura mais fotografadas do mundo. Pode ser visitado facilmente a partir do Rio, de carro, barca ou mesmo de bicicleta: dá pra pegar uma carona na Barca e ainda não paga o ingresso do Museu!

E Quase chegando à praia de Icaraí a gente tem esta vista linda, quando se alinham o Museu, a Ilha de Boa Viagem, O Corcovado e a Pedra da Gávea!

Museu de Arte Contemporânea - MAC

Museu de Arte Contemporânea – MAC

O MAC é daqueles museus que a gente vai visitar mesmo sem saber que o que está sendo exposto, ou se existe alguma exposição. A gente vai mesmo é pelo lugar, para visitar o edifício de pilar único e rampas tortuosas, pelo espaço que nos faz nos sentir em casa e pela vista panorâmica 360 graus. Quase uma covardia com as obras expostas na parede oposta!

Museu de Arte Contemporânea - MAC

Museu de Arte Contemporânea – MAC

Museu de Arte Contemporânea - MAC

Museu de Arte Contemporânea – MAC

Embaixo do espelho d´água funciona um o Bistrô MAC, com cafeteria, restaurante e buffet de café da manhã.

Tá certo que o espelho d´água é lindo e parece se fundir com o mar… mas não tente andar pela muretinha por toda a volta, o guardinha apita bastante!

Museu de Arte Contemporânea - MAC

Museu de Arte Contemporânea – MAC

Museu de Arte Contemporânea - MAC

Nada como uma visita acompanhado do Mestre

Mirante da Boa Viagem, S/N
Tel: (21) 2620-2400 e 2620-2481
http://www.macniteroi.com.br/
De terça a domingo, das 10:00h às 18:00h
A bilheteria fecha às 17:45h
Ingresso: R$ 10,00 (gratuito às quartas-feiras)
Meia-Entrada: estudantes, professores e acima de 60 anos;
Gratuito: crianças abaixo de 7 anos; estudantes da rede pública (fundamental e médio) e moradores de Niterói.

O Pátio abre de segunda a domingo, das 9:00h às 19:00h

Todo visitante que chegar no Museu de bicicleta terá entrada gratuita;

 

Organize sua viagem com o ZigadaZuca:
Nós oferecemos apenas produtos que já testamos e que sempre utilizamos em nossas viagens.
Ao utilizar estas ofertas você não paga nada a mais, recebe um excelente serviço pelo melhor preço e ainda ajuda o blog.
.

        

Author: Zucos - Colaboradores ZigadaZuca

Os colaboradores do ZigadaZuca contribuem com suas experiências, dicas e roteiros, sempre segundo a linha editorial do blog de publicar apenas experiências efetivamente vividas pelos autores e contam com a supervisão e respaldo do blog.

Share This Post On

4 Comments

    • Yey, viva os Zucooos!

      Obrigado pelo apoio Natalie e VnV!

      Post a Reply
  1. Adorei pessoal, favoritei para mim, claro!!! A minha dica no #eucurto de hoje foi multiplicada, pois foram 16, né??? =)

    Post a Reply

Mantenha este blog vivo, comente!