10 Considerações sobre o Inverno Europeu

O pessoal que nos acompanhou pelas redes sociais do blog (Instagram, Facebook ou Twitter), sabe que acabamos de voltar da Europa. Isso mesmo! Resolvemos encarar o inverno europeu e apesar de muitas vezes ter ouvido “Deus me livre pegar o inverno da Europa” ou “Não vale a pena ir no inverno!”, vou dar a minha sincera opinião (que não é certa nem errada, mas é minha!): Foi ótEmo!!!! Sério mesmo, me surpreendi!

Então resolvi listar compartilhar algumas considerações que fiz  sobre a minha experiência no inverno europeu:

1. “Não existe frio, e sim o casaco inadequado”, esse ditado que já ouvi de alguns amigos suecos faz todo sentido! Não que eu tenha virado mestra no assunto, muito pelo contrário, mas quando a gente aprende a se agasalhar e não subestima o frio – teve um dia em Paris que eu só sai com o casaco e um blusa, porque achei que era o “suficiente”, e senti frio – a gente sai preparado e o desconforto é muito menor.

Paris no Inverno

Basta a roupa adequada!

2. Faça pequenas e frequentes pausas para um café, eu já havia lido essa dica em lugares diferentes, e foi ótimo! Só de entrar em um ambiente aquecido e tomar algo quente, algo que se faz em 10 – 15 minutos, o corpo já agradece e se prepara para a próxima!

3. Li muito que a gente acaba aproveitando mais os programas indoor, o que é verdade, mas também dá pra fazer muita coisa ao ar livre, principalmente bater perna! Não dá pra fazer piquenique no Campo de Marte, olhando pra Torre Eiffel, mas dá pra rodar por vários lugares à pé. O que me incomoda mais é a chuva, ou seja, se não está chovendo, vambora!!!! 🙂

4. Como os dias são curtos, acho que essa é a minha maior implicância com o inverno (amo dias longos), aproveitamos ao máximo os programas ao ar livre enquanto tinha luz, como um simples bater perna na Champs Élysées ou no Jardim de Luxemburgo,  e sempre que dava fazíamos programas indoor à noite (leia-se: 17h!) como a visita noturna do Louvre, o que nos ajudou a “ganhar tempo”.

5. E falando em Louvre, outro lado bom do inverno, é que não pegamos fila, nem muvuca em nada! Torre, Arco do Triunfo,  Louvre, Ponte Charles… A maior fila da viagem foi pra subir a Notre Dame e não deve ter passado de 15 minutos.

Praga no Inverno

Ponte Carlos super vazia em Praga!

6. Visitas ou memoriais ao ar livre são mais sofridos!!! Senti isso em Berlim, pois o Memorial do Muro, tem uma grande parte aberta, e no final tive que entrar na parte fechada para segurar a onda pois não sentia mais os dedos dos pés! E no duomo do Palácio do Reichstag, que tem o topo aberto! Claro que no verão deve ser ótimo, mas no inverno isso pode comprometer um pouco.

Berlim

Memorial do Muro de Berlim

7. Aproveitando o gancho, meu maior perrengue foi com o pé, apesar da meia térmica senti bastante frio. Mas poderia ter sido evitado se eu tivesse comprado as palmilhas de lã que a Martinha (do Viajoteca) me indicou.

8. O visual do inverno é super diferente para a gente, as árvores estão peladinhas e os galhos parecem um esqueleto! Não estou comparando com a primavera, nem com a beleza do outono, mas se você consegue enxergar a beleza e o charme desse cenário dramático, que me encantou, você vai curtir cada clique e cada vista!

Paris no Inverno

Jardim de Luxemburgo

9. Não espere pela neve!!! É sério! Eu sempre quis ver a neve caindo, daquele jeito onde os floquinhos deixam a cidade branquinha (já esquiei e vi neve nas estações, mas nunca vi caindo). E eu tinha certeza de que nessa viagem eu veria, afinal Berlim e Praga em janeiro é praticamente certo! Mas não foi para mim, chegou a fazer entre 0 e -1 graus em Praga e Berlim, mas não “choveu”, logou não nevou e quando chovia, a temperatura sempre estava entre 1 e 2 graus (sortuda eu né? #sqn). O máximo que eu vi foi uma garoinha de nada de neve, daquelas que deixam o seu casaco perecendo que você tem caspa e só! Então é só baixar as expectativas que quem sabe você é surpreendido! 🙂

10. Para finalizar, dar uma pausa do mega verão brazuca, caiu muito bem! 🙂 Juro que não senti nenhuma inveja da minha TL (timeline) reclamando do calor, mesmo com as lindas fotos do meu Rio <3. Afinal, calor eu passo o ano todo aqui em Cuiabá né?! Ir pra Zoropa no verão, pra sentir mais calor, não me atrai em nada… Só se rolar outra suuuuuper promoção como aquela da Rússia! :-p

Resumindo, na minha opinião, viajar no inverno europeu é mais confortável do que no curitibano, pois absolutamente tudo está preparado para isso! Ônibus, metrô, café, pé sujo da esquina… Tudo tem aquecimento! Claro que curto dias lindos e ensolarados, ainda mais se rolar um piquenique ou deitar de bobeira na grama, mas me encantei tanto pelo charme do inverno, que fiquei com muita vontade de voltar na mesma época! Então, para quem ficava preocupado, como eu, recomendo demais!!!

E você, já viajou para a Europa no inverno? Quais as suas dicas e observações? Deixa aí pra gente!!!!

 

Organize sua viagem com o ZigadaZuca:
Nós oferecemos apenas produtos que já testamos e que sempre utilizamos em nossas viagens.
Ao utilizar estas ofertas você não paga nada a mais, recebe um excelente serviço pelo melhor preço e ainda ajuda o blog.
.

        

Author: Natália Gastão

Fluminhoca (fluminense + carioca) experimentando a vida mineira em Belo Horizonte, fisioterapeuta, acupunturista e viajante. Apaixonada pelo Rio e por viajar, sofre de tensão pré e depressão pós viagem, não pode ver uma promoção de passagem aérea e quer ir para tudo quanto é canto.

Share This Post On

18 Comments

  1. eu sou #teamInverno, sempre. Eu só viajo no inverno! Adoro. Agasalhar-se bem é fundamental, assim como as pausas. Ah.. E sair cedo, também, para aproveitar os dias curtos. 😉

    Post a Reply
    • Eu nunca havia experimentado um inverno de verdade Marcie!
      Achava que seria tenso e não daria para aproveitar muito, mas estava completamente enganada! Amei tudo!!!! Será que vou virar #teaminverno também?
      A única parte em que falhei, foi a de acordar cedo! 😛
      Obrigada pela visita Querida!

      Post a Reply
  2. Eu nunca viajei no inverno, mas morro de vontade!
    O que peguei mais perto do inverno foi começo de dezembro, e mesmo assim foi super ok. Eu amo viajar no outono, mas está na minha lista ver neve, então já viu!rs

    beijo

    Post a Reply
    • O meu grande recalque nessa viagem foi não ver neve Dani!!! 🙁
      Tinha previsão e tudo, chegou a cair uma garoa de neve em Berlim, mas nem deu pra deixar nada branco… Muito frustrante! Ficava “brigando” com São Pedro e dizendo que “já que era pra fazer frio e chover, baixa mais 1 grau essa temperatura e manda neve logo!” hehehe 🙂
      Já fui para NY no outono e amei, sou louca por aquelas folhas coloridas, acho que o outono ainda está no topo de desejos, mas agora que não tenho mais “medo” do inverno, posso repetir muitas vezes até pegar a neve que tanto quero! 🙂
      Obrigada pela visita!
      Beijooo!

      Post a Reply
  3. Concordo bastante com o tem 1: a primeira coisa a se fazer é comprar um bom casaco. E rezar para não pegar chuva forte ou vento. Com chuvinha, até dá para sair… até porque, pelo menos aqui na Toscana, a chuva fina é quase uma constante…
    Espero que da próxima vez você venha para esses lados…
    Um beijão,
    Babi

    Post a Reply
    • Também notei que a chuva fininha era quase uma constante Babi, acho que só em Paris teve um dia de chuva mais forte e ainda assim não durou tanto.
      A Toscana sempre estará na minha lista, quem sabe num outono desses?
      Beijão!

      Post a Reply
  4. Natália
    Depois de 4 invernos indo para a Europa confesso que não tenho problemas com ele não. Apesar que dizem que na Itália não tem inverno. Mas esse ano peguei temperatura e ventos desagradáveis,
    Se você pretendo voltar outras vezes no inverno te aconselho MUITO investir uma bota UGG, ela não é bonita mas faz toda a diferença no conforto e aquecimento dos pés.
    Fiz um post lá no blog sobre minhas impressões de como sobreviver no inverno rigoroso.
    Te convido a dar uma lida http://www.comerecocaresocomecar.com.br/2015/01/como-se-vestir-no-inverno-europeu-parte.html

    Bjs
    Dani Bispo

    Post a Reply
    • Acabei de ver o post Dani, e adorei as dicas!
      Vou procurar investir na bota sim, até porque sinto que terei novos invernos europeus pela frente. 🙂
      Eu não tenho muita resistência em me agasalhar, fiquei surpresa que o meu casaco segurou a onda e eu não precisei comprar o Down Jacket, cachecol e gorro são imprescindíveis pra mim, minhas extremidades sempre foram geladas no Brasil, imagina no frio?
      Beijão!

      Post a Reply
  5. Comadre!!

    Investi em uma bota peludinha por dentro nesse inverno nos EUA!! Melhores US$ 90 gastos na viagem!!!
    Nunca mais senti frio no pé!!

    Beijoosss

    Post a Reply
    • Na próxima viagem de inverno será a minha primeira aquisição, pois fui deixando, deixando… Aí já estava em Berlim e quase no fim da viagem e abri mão. Mas nada paga o conforto de ter o pé quentinho né?!
      Adorei a visita Comadre!
      Beijão!

      Post a Reply
  6. Só enfrentei o inverno de Portugal, que sei que é bem mais ameno, mas foi uma delícia! Acho que é mais fácil se preparar para o frio do que para o calor. Quando tá quente demais tudo fica desconfortável, credo! Frio e sol para mim é a combinação perfeita.

    Post a Reply
    • Falou tudo Camila!
      Também sempre amei a combinação frio e sol, aliás só peguei esse clima em Lisboa, o resto foi basicamente céu cinza! Mas valeu mesmo assim!
      Beijão!!!

      Post a Reply
  7. Natália, eu venho para a Europa especialmente para o inverno há 8 anos. Já passei todos os tipos de clima. Já peguei -13 em Berlin, -18 nas montanhas de Innsbruck, e já perdi a conta das nevascas . Amo! Fujo mesmo do verão carioca! Odeio a muvuca que vira a cidade e principalmente a ditadura da felicidade que toma conta da mídia enquanto eu estou trancada no ar condicionado. Acho que viajar no inverno por aqui é muito mais fácil, as roupas térmicas e tecnológicas ocupam pouco espaço na mala, um bom casaco e botas forradas , luvas e gorro que proteja as orelhas e pronto! Meu maior problema são as mãos, que vivem congeladas, mas até para isso tem solução. Tem uns saquinhos que esquentam em contato com o ar e a gente coloca no bolso. A roupa certa é a libertação das viagens no inverno europeu. E também amo as paisagens, árvores preguiças e peladas. Vou torcer para que na próxima viagem você veja muita neve caindo! É d+!

    Post a Reply
    • 8 anos de inverno europeu Celina? Que delícia!!!!
      Ainda preciso melhorar nas roupas e principalmente nos calçados, mas depois dessa primeira vez acho que ficará mais fácil, até porque a gente desmistifica um pouco a coisa né?! Quem sabe eu não volto no ano que vem para tentar a neve de novo? 🙂
      Beijão!

      Post a Reply
  8. ai que bom que gostou , Nat! Esse seu roteiro tava fantástico. Eu amo frio e fiquei com medo do inverno “de verdade” ser ruim, mas que nada, amei. Sou #teaminverno rs Vc tem que viajar cmg, o Romulo brinca que eu sou master of the rain, onde chego, chove, rs. Nevou até em Madrid (um pouco só, mas considerando que por lá eh raro rs). Beijos!

    Post a Reply
    • Realmente o frio que você pegou foi “de verdade” Jackie, mas sabe que vê-la aproveitando tudo no inverno russo me animou? Sério! A gente começa a notar que é possível e não aquele horror que muitos pintam.
      Quando você disse no Facebook que nevou em Madrid, eu quase chorei! hahaha
      Beijão!

      Post a Reply
  9. Eu a mais atrasada.. Sim, palmilhas de lã são vida! Comprei umas novas (4 pares) em Dresden, baita promoção (€7.8) e da UGG. Eu amo usar Converse, e não existe tênis mais frio, mas com as palmilhas, pode vir inverno (menos neve e chuva).

    Post a Reply
    • Pois é, dei muito mole de não comprar as palmilhas logo de cara! Mas na próxima vez, elas não me escapam! 🙂
      Beijão Martinha!

      Post a Reply

Mantenha este blog vivo, comente!