Pousada Barra do Bié: Conforto, gastronomia e muita natureza em Cunha.

O Tales (Zuco) sempre brinca comigo que ele precisa de férias quando volta de viagem, pois sempre retornamos exaustos, juro que tenho tentado tentado aderir ao slow travel e até que tenho conseguido melhorar, mas ainda assim tá longe de ser o ideal. Porém há duas semanas atrás tive a oportunidade de experimentar uma viagem para descansar, sem compromissos (hora de passeio, museu, vai dar tempo disso ou daquilo, etc.), e com atrações suficientes para não ficar entediada. A cidade? Cunha. O lugar? Pousada Barra do Bié.

 

Barra do Bié

Barra do Bié


 

A vontade de visitar Cunha, veio há uns cinco anos atrás quando o Zuco sugeriu que a gente fizesse alguns trechos da Estrada Real de bicicleta, algo que não saiu da ideia e depois de ver como é a estrada Paraty – Cunha, a ideia realmente foi banida. Mas Cunha não é apenas um ponto da Estrada Real, a cidade também abriga um grande centro de cerâmica, cachoeiras e trilhas, além de muitas opções gastronômicas. Isso sem contar com o clima de montanha que é delicioso!

Então quando recebemos o convite da Pousada Barra do Bié para visitá-los, não pensamos duas vezes, afinal reunimos o descanso que tanto desejamos nas viagens, com as atividades ao ar livre que tanto gostamos.

 

Barra do Bié

Barra do Bié


 

A pousada por si só é uma delícia, são seis chalés distribuídos em parte dos 58000 metros quadrados de área verde, além da piscina, sauna, academia, churrasqueira, restaurante e biblioteca. Sabe aquele lugar sossegado sem um mooonte de gente? Então, é assim!

 

Recepção e Estar

Recepção e Estar

Os Chalés

Os Chalés

A Piscina

A Piscina

Espaços de Estar

Espaços de Estar


 

Mas o diferencial mesmo, está no atendimento, feito full time pelos próprios donos da pousada, Ana e Ciro, que nos atenderam muito bem do início ao fim da estadia. A Ana é a chef, que faz deliciosos pratos como o estrogonofe de pinhão e o pavê de brigadeiro com calda de frutas (O melhor pavê da minha vida!!!). Já o Ciro, foi dentre outras coisas, nosso consultor para escolher o vinho. Ou seja, tudo é feito com muito carinho e de forma muito pessoal, o que na minha opinião é super importante! Por exemplo, enquanto estávamos jantando, alguém foi ao nosso chalé tirar a colcha da cama e ainda deixou dois chocolatinhos para a gente, óbvio que adorei!

O café da manhã tem  tantas opções que fica difícil escolher, óbvio que a alma gorda aqui provou quase tudo, mas eu preciso contar que a Ana fez uma salada de frutas sem kiwi e mamão pois no dia anterior, eu havia comentado que tinha alergia. Agora diz, tem como não amar? Além do café da manhã também é servido um chá da tarde entre 16:30 e 18:30h.

 

Café da Manhã na Barra do Bié

Café da Manhã na Barra do Bié – Foto Rapha Aretakis

Café da Manhã na Barra do Bié

Café da Manhã na Barra do Bié – Foto Rapha Aretakis

Café da Manhã na Barra do Bié

Café da Manhã na Barra do Bié – Foto Rapha Aretakis


 

O nosso chalé era equipado com uma lareira, cobertores térmicos, TV, DVD player (na biblioteca tem um grande acervo de filmes, shows e seriados para a gente escolher), um banheiro bem espaçoso com hidromassagem e ammenities da L’Occitane (amo!).

 

Dentro do Chalé

Dentro do Chalé


 

Além disso tudo, ainda existe um rio que passa dentro da área da pousada, caminhamos na trilha ao lado dele, só não entramos, porque estava friozinho.

Como fomos durante a semana, alguns restaurantes, ateliês de cerâmica e a Cervejaria WolkenburG (que um post do Rapha no Mundo me deixou louca para conhecer) estavam fechados. Mas nada que nos fizesse “perder a viagem”, almoçamos no excelente Quebra Cangalha e visitamos alguns ateliês, dentre eles o  Mieko e Mario, onde, oficialmente, compramos a primeira coisa para a nossa casa. =)

Além disso, a Ana nos recomendou subir a Trilha da Pedra da Macella, um morro altão onde ficam as antenas de Furnas. São 2,5 km de subida íngreme, mas o piso é pavimentado, o que facilita a vida de pessoas sem noção que esquecem de levar o tênis na mala, como eu. Mas ao chegar lá em cima o visual compensa o esforço, uma vista incrível para Angra e Paraty. Só não esqueça de levar água, fruta, etc. pois não tem nada lá em cima.

 

Trilha da Pedra da Macella

Trilha da Pedra da Macella

Vista de Angra e Paraty

Vista de Angra e Paraty

Na Pedra da Macella

Na Pedra da Macella


 

Foram dois dias muito agradáveis e sossegados, onde finalmente desfrutamos do viajar e descansar, além da ótima companhia do Ciro e da Ana e dos lindos Dino e Bié, seus cachorros que apaixonam a todos.

 

A Companhia do Dino

A Companhia do Dino


 

Pousada Barra do Bié
Rodovia Cunha / Parati (SP 171) km 58,8
+ 5,8 km de estrada não pavimentada

Mas ATENÇÃO, siga direitinho as orientações do site da pousada, pois o google maps vai lhe mandar para o lugar errado.

*Agradeço a Ana e ao Ciro por todo o carinho e receptividade, ao Dino pelo “bom dia” na varanda, ao Bié por ter saído do vizinho para dar um “oi” e a AD Comunicação pelo convite.

* Agradeço também a Rapha do Rapha no Mundo, que gentilmente me cedeu as fotos do café da manhã. As minhas foram roubadas junto com o meu celular =(

Outros posts sobre Cunha e a Pousada Barra do Bié:

Cunha e Barra do Bié no Jeguiando
Cunha e Barra do Bié no Pelo Mundo
Cunha e Barra do Bié no Rapha no Mundo
Cunha e Barra do Bié no Sundaycooks

 

Organize sua viagem com o ZigadaZuca:
Nós oferecemos apenas produtos que já testamos e que sempre utilizamos em nossas viagens.
Ao utilizar estas ofertas você não paga nada a mais, recebe um excelente serviço pelo melhor preço e ainda ajuda o blog.
.

        

Author: Natália Gastão

Fluminhoca (fluminense + carioca) experimentando a vida mineira em Belo Horizonte, fisioterapeuta, acupunturista e viajante. Apaixonada pelo Rio e por viajar, sofre de tensão pré e depressão pós viagem, não pode ver uma promoção de passagem aérea e quer ir para tudo quanto é canto.

Share This Post On

10 Comments

  1. Ei Natália amei o post! Sou louca pra fazer um trecho da estrada real de bici tb. Vc sabe se a pousada aceta cães? Esse da foto deve ser deles, né?
    Adorei o lugar!
    bjs,

    Post a Reply
    • Oi Jackie!

      Olha eu realmente não sei se a pousada aceita cães, vale à pena dar uma telefonada. O Dino, cão da foto, é deles sim!

      Eu até topo um trecho da Estrada Real de bike, mas a estrada Cunha – Paraty é um verdadeiro rali, então tô fora!

      Beijinhos!

      Post a Reply
  2. A Barra do Bié é uma delícia, né? O post ficou ótimo, Tata! Cunha é muito legal, não vejo a hora de voltar.

    :*

    Post a Reply
    • Obrigada Rapha! Quando voltar, priorizarei o final de semana, para visitar outros restaurantes e a cervejaria! =)
      Valeu pelas fotos!!
      Beijooo!

      Post a Reply
  3. Lindas fotos! O lugar deve ser uma delícia mesmo!
    Bjs
    Karla

    Post a Reply
  4. Peraí! Você esqueceu o tênis de novo? Eu achava que você tinha aprendido a lição na Patagônia! hehe

    Post a Reply
    • Sabe que eu lembrei de você?! haahahaha
      Esqueci completamente… Sorte que ele não foi imprescindível, mas certamente teria sido melhor subir a trilha com ele. =)

      Post a Reply
  5. Tatá, essa é minha pousada do coração! A Ana e o Ciro são 100 em 2, incríveis! Tenho convite para voltar lá e nunca consigo encaixar, uma pena 🙁 Recomendo muito, sempre, para amigos, família, leitores. O post ficou lindo, deu uma saudaaaaade…

    Post a Reply
    • A Ana disse que você não pára e por isso não volta lá! =)
      Também me apaixonei pela Pousada, nem fazia questão de sair… Muito bonitinha e bem sossegada, tudo o que eu estava precisando!
      Beijo Mari!

      Post a Reply

Mantenha este blog vivo, comente!